Início » Medicamentos e Remedios » Sibutramina Emagrece? Quais os Efeitos Colaterais?
Medicamentos e Remedios Saúde

Sibutramina Emagrece? Quais os Efeitos Colaterais?

Na luta para emagrecer muitas vezes acabamos sentindo que a alimentação saudável e os exercícios físicos não são suficientes. Seja pela pressa em ter o corpo desejado ou por simplesmente não conseguir eliminar facilmente os quilos a mais, é comum pensar em outras formas que possam garantir o emagrecimento. E é nesse momento que começamos a pensar em medicamentos.



Se você é uma pessoa atenta a dietas e emagrecimento já deve ter ouvido falar em sibutramina. Pode até mesmo ter ficado tentada a lançar mão disso para garantir seus objetivos. Mas você sabe do que se trata?

O que é Sibutramina?

Pois bem: a sibutramina é um medicamento controlado indicado para o tratamento da obesidade. O remédio é um inibidor de apetite que só pode ser receitado pelo médico, sendo que profissional e paciente devem assinar um termo de responsabilidade. Ela também tem um limite em sua dosagem diária e o tratamento tem tempo limitado, durando no máximo dois meses. Caso não faça efeito durante esse tempo, o profissional de saúde deve suspender a receita.

Por aqui o medicamento ainda é popular – mesmo com todas as restrições – porque é a única substância inibidora de apetite registrada no país, visto que outros medicamentos (à base de anfetaminas) tiveram seu registro cancelado pela Anvisa. A decisão que suspendia o registro desse tipo de produto caiu, mas até então os laboratórios não demonstraram mais interesse em produzí-los. Já em outros países, a situação do remédio é bastante ruim: na Europa, por exemplo, ele teve suas vendas suspensas, assim como nos Estados Unidos.

No Brasil, remédio é utilizado em pacientes com obesidade cujo IMC (índice de massa corpórea) seja igual ou superior a 30, devendo ser complementado com alimentação saudável e atividades físicas.

Como funciona a Sibutramina?

Inicialmente a Sibutramina surgiu no mercado como um antidepressivo. Porém, foi observado que um dos efeitos colaterais era a diminuição do apetite, o que fez com que o uso mudasse o foco e passasse a ser comercializado como emagrecedor.

O efeito real da sibutramina, embora seja chamado de inibidor de apetite, é o se estimular a sensação de saciedade, o que faz com que o paciente fique satisfeito mais rápido, consumindo menos alimentos. Para tanto, ele age sobre a serotonina e noradrenalina, que são dois neurotransmissores. Sendo assim, eles funcionam levando informações entre os neurônios, e assim gerando a sensação de que a pessoa já está saciada por retardar o processo de recaptação: ou seja, deixando que os neutrotransmissores fiquem por mais tempo fazendo a ligação entre os neurônios.

Quais as contraindicações da Sibutramina?

O uso da sibutramina é contraindicado para quem tem doenças cardíacas e em pacientes que tenham disturbios alimentares. Também não deve ser consumido por grávidas ou mulheres que estejam amamentando. Não deve ser receitado também para quem faz uso de outros medicamentos como antidepressivos, descongestionantes nasais, supressores de apetite e  antitussígenos.

Se o paciente tiver pressão alta, epilepsia, glaucoma ou sinais de doenças cardíacas, o médico deve tomar cuidado especial caso houver necessidade da preescrição do remédio.

Quais os efeitos colaterais da Sibutramina?

Os efeitos colaterais do medicamento chamam a atenção e dão uma ideia da razão pela qual ele só pode ser tomado sob supervisão médica: o remédio está relacionado a aumento da frequência cardíaca, aumento da pressão, palpitações, boca seca, insônia, alterações no paladar, suor e ondas de calor, sendo mais visíveis durante as quatro semanas de tratamento.

Outros efeitos colaterais associados ao uso da sibutramina são arritmia cardíaca, dor no peito, parestesia, alterações de humor, convulsões, problemas para urinar, visão anormal, dispnéia, dores no peito e hemiplegia. Esses são efeitos que necessitam de acompanhamento com urgência.

Vale lembrar que os cientistas ainda estão tentando entender o que provoca alguns dos efeitos, como o aumento dos riscos cardiovasculares, boca seca, taquicardia e insônia. Ou seja, que que forma o medicamento age no organismo para provocar esses sintomas.

Por que a Sibutramina pode ser perigosa?

A sibutramina oferece muitos riscos a quem o consome sem a devida supervisão médica. Isso porque é possível notar que ele pode aumentar o risco de doenças cardíacas, infarto e derrame. Ou seja: seus efeitos colaterais podem ser graves a ponto de não compensar os benefícios.

Outro ponto importante é que a sibutramina pode provocar reações alérgicas caso o paciente esteja fazendo o uso de outros remédios como redutores de peso, descongestionantes nasais, antitussígenos e para enxaqueca.

A única forma segura de consumir o medicamento é seguir as instruções da Anvisa. Nesse caso, com supervisão médica e assinatura de ambos no termo de responsabilidade a ser entregue na farmácia no momento da compra.

Lembre-se:

Por mais que você esteja com pressa para emagrecer, cabe avaliar corretamente os riscos envolvidos antes de decidir lançar mão do uso de medicamentos controlados. Caso queira apressar os resultados do emagrecimento peça orientações médicas e siga as orientações a risca. Nada de se automedicar, ainda mais com remédios com venda proibida. Sua saúde é mais importante que o desejo de chegar a um peso baixo ou alcançar a medida dos sonhos.

Portanto, em caso do uso de Sibutramina, faça o uso conforme indicado pelo médico, sem aumentar ou diminuir a dosagem por conta própria, e olho vivo nos efeitos colaterais. Não deixe de informar nenhum provável sintoma, nem tente prolongar o tratamento além do acertado pelo profissional de saúde ou pela agência reguladora.

Olho vivo: por mais que você queira alcançar os resultados, não deixe os cuidados com a saúde de lado.