Início » Saúde » Sífilis: O que é, Prevenção, Sintomas e Tratamentos
Saúde

Sífilis: O que é, Prevenção, Sintomas e Tratamentos

Você sabe quais são os principais sintomas da sífilis? Como evitar? Descubra a seguir!



Você sabe quais são os principais sintomas da sífilis? Como evitar? Descubra a seguir!

A sífilis é uma doença muito temida devido ao fato de que seus sintomas podem ser silenciosos e se não tratada pode levar a sérias complicações e até à morte. Muitas pessoas em sociedades passadas morriam de sífilis porque a cura não tinha sido descoberta, mas atualmente o tratamento é eficaz, mas diversos cuidados devem ser tomados. Saiba a seguir tudo sobre essa doença, seu tratamento e como evitá-la.

O que é a sífilis?

Sífilis é uma doença sexualmente transmissível (DST) que é causada por uma bactéria chamada Treponema Pallidum, que se instala no organismo podendo trazer sintomas visíveis ou ficar silenciosa por um grande período de tempo, até anos, e sem o tratamento poderá trazer sérias complicações para o organismo.

Como é a transmissão da sífilis?

A forma mais comum de pegar sífilis é através do ato sexual sem proteção correta como a camisinha. Ela é transmitida através de fluidos corporais que são excretados durante o ato sexual, que pode ser sexo vaginal, anal ou oral. Por esse motivo é tão importante o uso da camisinha em qualquer tipo de ato sexual.

Outra forma de transmissão de sífilis é através do contanto sanguíneo com quem possui a doença.

A sífilis também pode ser transmitida para o bebê se a mãe estiver infectada, ele provavelmente adquirirá a doença através da placenta ou na hora do parto ao entrar em contato com o sangue da mãe. É conhecida como sífilis congênita.

Sintomas

A sífilis é dividida em 3 estágios da doença. O estágio 1 é chamado de sífilis primária e seus sintomas podem ser praticamente imperceptíveis, ainda mais se as feridas são no canal vaginal ou no ânus, porque elas não costumam ser dolorosas nesse estágio. Alguns outros sintomas são:

  • Feridas indolores e pouco visíveis;
  • Infecção urinária nas mulheres;
  • Feridas indolores e pouco visíveis no pênis (cabeça) ou vagina (principalmente lábios vaginais);
  • Corrimento vaginal amarelado;
  • Desregulação do clico menstrual ou período em atraso;
  • Aparecimento de caroços/ínguas nas virilhas ou axilas (isso denota infecção no organismo);
  • Feridas não visíveis no colo do útero, ânus ou reto.

Na maior parte dos casos as feridas do primeiro estágio costumam desaparecer após um mês ou um mês e meio, sem que a pessoa tenha as percebido. O corpo volta ao normal.

Após algum tempo e sem tratamento a bactéria continua no organismo de forma inativa e passada mais algumas semanas ela volta com novos sintomas e mais feridas.

A segunda etapa é chamada de sífilis secundária, ela se manifesta cerca de 2 meses depois do primeiro estágio sem tratamento, estudos apontam que 33% das pessoas que tiveram o estágio 1 desenvolvem o estágio 2.

É importantíssimo detectar com cuidado esses sintomas do estágio 2 e começar o tratamento imediatamente para evitar complicações futuras, porque os sintomas podem ser muito parecidos com uma gripe, dengue ou diversas outras doenças.

Os sintomas da sífilis secundária são:

  • Dor de cabeça;
  • Manchas avermelhadas em diversas partes do corpo;
  • Lesões cutâneas/feridas nos órgãos sexuais;
  • Ínguas/caroços na virilha;
  • Fadiga e muito cansaço;
  • Dores no corpo e mal estar;
  • Febre;
  • Dores musculares;
  • Dor de garganta e dificuldade para engolir;
  • Insônia.

Esses sintomas desaparecem cerca de uma semana depois, dando a impressão de melhora e o corpo volta a parecer saudável, e é nesse caso que pode ficar muito preocupante o estágio da doença, porque a bactéria continua no organismo e agora na forma latente.

A bactéria pode ficar anos e anos no corpo sem sequer nenhuma manifestação, porém se ela voltar a sua atividade os danos podem ser muito sérios e por em risco a vida do paciente. É no terceiro estágio que a bactéria se torna muito perigosa que pode trazer danos até neurológicos.

O terceiro estágio da sífilis poderá trazer danos ao coração, ossos, fígado, cérebro, nervos, articulações e vasos sanguíneos, se não houver nenhum tratamento.

As consequências podem ser:

  • Problemas neurológicos;
  • Demência;
  • Paralisia;
  • Cegueira;
  • Perda do apetite;
  • Lesões nas palmas da mão e planta do pé;
  • Manchas vermelhas pelo corpo;
  • Doenças inflamatória pélvica;
  • Enfraquecimento do sistema imunológico levando a diversas outras doenças;
  • Deficiência mental.

Assim como a AIDS, a sífilis traz enfraquecimento do sistema imunológico do paciente deixando-o vulnerável a desenvolver diversas doenças.

Tratamentos

Primeiramente, ao detectar os sintomas da sífilis procure imediatamente um médico para que ele examine e através de exames específicos possa diagnosticar e passar o tratamento correto. O mais importante é descobrir a doença logo em seu primeiro estágio para que o organismo não venha sofrer quaisquer danos futuros.

O tratamento da sífilis consiste em tomar penicilina que é um antibiótico forte e o único que cura a doença. O tratamento deve ser feito rigorosamente e com acompanhamento médico pelo período de 2 anos até que se tenha certeza que a doença tenha sido exterminada do organismo.

Além da penicilina, algumas pomadas e cremes também podem ser receitadas para o alívio de dores e feridas na região genital.

Os médicos recomendam como parte do tratamento que o paciente evite relações sexuais até a confirmação da cura da sífilis.

Ao detectar os primeiros sintomas procure imediatamente ajuda médica.